8 mentiras já ditas pelo presidente Jair Bolsonaro

0
9

Associated Press

O dia 1º de abril é conhecido mundialmente como o Dia da Mentira. Mas, no Brasil, se depender do presidente Jair Bolsonaro (PSL), não precisaremos esperar um ano inteiro para termos alguma novidade quando se trata de “meias verdades”.

Listamos aqui 8 vezes que o presidente preferiu omitir informações ou apelar para a desinformação em suas declarações.

1. “Nunca tivemos nas Forças Armadas uma política de Estado repressiva dessa forma que tentam o tempo todo botar na nossa conta.” 

Bolsonaro sobre período da Ditadura Militar em entrevista ao jornalista José Luiz Datena, da TV Bandeirantes, em 27 de março de 2019.

No entanto, segundo a Comissão da Verdade, ao menos 423 pessoas foram mortas ou desapareceram ao longo dos 21 anos de ditadura. 

2. “Onde você viu no mundo uma ditadura entregar o governo de forma pacífica para oposição? Só no Brasil. Então não houve ditadura.”

Bolsonaro sobre período da Ditadura Militar em entrevista ao jornalista José Luiz Datena, da TV Bandeirantes, em 27 de março de 2019.

Mas a transição não foi tão pacífica assim. Entre o final dos anos 1970 e início dos anos 1980, o Brasil foi palco de uma série de atentados organizados por setores do Exército que rejeitavam a redemocratização, como o atentado do Riocentro.

3. “O português nem pisava na África. Foram os próprios negros que entregavam os escravos” 

Jair Bolsonarou minimizou o papel dos portugueses no tráfico de escravos em entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura, em 31 de julho de 2018.

4. Bolsonaro disse que nunca defendeu que mulheres devem ganhar menos que homens durante debate presidenciável na Rede TV!

No entanto, ele já admitiu que não pagaria a uma mulher o mesmo salário pago a um homem. “Eu não empregaria [mulheres e homens] com o mesmo salário. Mas tem muita mulher que é competente”, disse Bolsonaro em entrevista à apresentadora Luciana Gimenez, na RedeTV!, em 2016.

[embedded content]

 

5. Bolsonaro disse que o governo do PT aprovou uma “bolsa família” unicamente para travestis e transsexuais

[embedded content]

O plano citado no vídeo pelo então deputado Jair Bolsonaro, e que havia sido proposto pela então deputada Maria do Rosário, de inclusão da população LGBT em ambientes escolares nunca chegou a ser discutido ou aprovado.

6. Bolsonaro afirmou que o governo do PT estava distribuindo “kit gay” nas escolas 

Para quem não se lembra da discussão, Escola sem Homofobia, chamado de “Kit Gay” na época pela bancada evangélica, era constituído por vídeos elaborados pelo MEC, em convênio firmado pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), que tratavam de homossexualidade, transexualidade e bissexualidade entre jovens.

O material, composto por 3 vídeos e guia de orientação aos professores, tinha como objetivo debater a sexualidade no ambiente escolar, como forma de reconhecer a diversidade sexual e alertar sobre o preconceito.

A ideia era distribuir o material para professores e alunos do Ensino Médio de todo o Brasil. Os planos não foram para frente, no entanto. Assim que o MEC divulgou o kit, ele foi alvo de críticas e gerou polêmica entre os setores mais conservadores do País e do Congresso Nacional.

Bolsonaro, então deputado pelo PP do Rio, foi um dos primeiros a se posicionar contra o projeto, e alegou que o MEC e grupos LGBT “incentivaram o homossexualismo (sic) e a promiscuidade” e tornam os filhos “presas fáceis para pedófilos”.

7. Bolsonaro usa Twitter oficial para espalhar notícias e perfis falsos

Em janeiro de 2019, o já presidente compartilhou postagens de perfis fake como “Falha de S.Paulo” (@folha_sp), “Trolha de S. Paulo” e o perfil “Reginaldo Azedo” (um fake do jornalista Reinaldo Azevedo) e o fake  “Estabão – Paródia”.

Reprodução

Em março, dando continuidade à estratégia de ataque à imprensa, o presidente usou uma informação falsa para atacar a jornalista Constança Rezende, do jornal O Estado de S.Paulo. Em seu perfil no Twitter, o presidente atribuiu falsamente à repórter a declaração de que teria intenção de “arruinar Flávio Bolsonaro″ e buscar o impeachment do presidente.

A frase teria sido dita pela jornalista, segundo a denúncia de um jornalista francês que é citado pelo Terça Livre, site bolsonarista que dissemina fake news.

Contudo, o site francês Mediapart, que é creditado pelo site bolsonarista, desmentiu a informação.

“As informações publicadas no ‘club de Mediapart’, que serviram de base para o tuíte de @jairbolsonaro, são falsas”, publicou o site francês.

8. “Somos o País que mais preserva o meio ambiente”

Em Davos, durante o Fórum Econômico Mundial, que aconteceu em janeiro, o presidente afirmou que o Brasil é o país que mais preserva o meio ambiente. A agência de checagem Aos Fatos considerou a declaração falsa.

Se Bolsonaro estiver falando de área de florestas preservadas, o Brasil ocupa a 30ª posição. 

Se estivesse se referindo sobre o grau de sustentabilidade do país, o Brasil aparece na 69ª posição, no último Enviromental Perfomance Index.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here