Governo anuncia mais R$ 70 milhões ao Bolsa Atleta e sugere mudanças

0
15
Bolsonaro cumpriu a única medida proposta para o esporte nos primeiros 100 dias de gestão (Foto: Mauro Pimentel / AFP)

O Ministério da Cidadania anuncia nesta quinta-feira uma série de ações para fortalecer o Bolsa Atleta. Entre as medidas está a recomposição do orçamento, além da publicação de uma lista com 3.142 novos contemplados no programa e uma melhor distribuição dos investimentos ao longo da carreira dos atletas. A ação é a única programada para o a área dos esportes nos primeiros 100 dias do governo de Jair Bolsonaro.

“Nós estabelecemos como missão, ao assumir a pasta de Esporte no início deste ano, recuperar o Bolsa Atleta. É nossa prioridade garantir a preparação para os Jogos de Tóquio 2020, sem descuidar das categorias de base. Nessas faixas estão o futuro do esporte”, destacou o ministro Osmar Terra.

Foram adicionados ao orçamento do programa R$ 70 milhões. Com os recursos adicionais, a pasta dobrou o número de atletas apoiados atualmente, resgatando nomes que foram retirados na gestão de Michel Temer. Estavam contemplados até então 3.058 atletas das categorias Olímpica/Paralímpica, Internacional e Nacional, o que representa um desembolso de R$ 53,6 milhões ao longo de 2019.

Veja também: Bolsonaro recebe presidentes da CBF e da Fifa e ganha camisa

O Ministério da Cidadania publicou no Diário Oficial da União desta quinta-feira uma nova listagem com 3.142 atletas, o que acarreta em um investimento de aproximadamente R$ 31 milhões. Com isso, o programa passa a ter 6.200 integrantes. A pasta também lançará, ainda neste ano, novos editais selecionar novos beneficiados.

Escalonamento por resultado, reajuste no benefício e reestruturação das bolsas: governo quer modernizar o Bolsa Atleta

Osmar Terra é o Ministro da Cidadania, pasta que abrange o esporte após o fim do Ministério específico (Foto: AFP)

Além das medidas já instauradas, o governo prevê uma série de mudanças para reorganizar o Bolso Atleta. As propostas constam a restruturação das categorias de bolsas, reajustes de cerca de 10% nos valores do benefício, além de possibilitar escalonamento dos valores considerando o resultado esportivo dos atletas.

“Esse PL é resultado de um estudo que contou com a colaboração e sugestões de diversos representantes do setor. O objetivo é garantir a distribuição de recursos de forma mais equitativa e abrangente”, explicou o secretário especial do Esporte, Marco Aurélio Vieira.

Entre as mudanças sugeridas está a unificação das categorias Atleta de Base e Atleta Estudantil. A ideia é nivelar as faixas etárias juvenil e infantil de campeonatos nacionais na base da pirâmide esportiva e valorizar as competições de base internacionais, como os Jogos Olímpicos da Juventude e os Mundiais Estudantis. Com essa alteração, o programa atenderá atletas em cinco categorias: Base, Nacional, Internacional, Olímpica/Paralímpica e Pódio.

Os esportistas das subcategorias etárias iniciante e intermediária (infantis e juvenis) com resultados nacionais passarão a ser contemplados na categoria Atleta de Base. Já a categoria Nacional apoiará atletas que tenham conquistado medalhas em competição esportiva no país na subcategoria principal (adulta).


Classificatório define últimas vagas ao torneio masculino na Paraíba

Etapa de João Pessoa do vôlei de praia feminino tem oitavas definidas

Livre de lesões, Teliana Pereira embarca para torneios na Europa

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here